Uma travessia...por vezes fácil, outras vezes difícil. Um deserto, onde se tenta desesperadamente encontrar um oásis para ai permanecer, pelo menos na triste ilusão de ser feliz.

junho 09, 2004

Zen

Lá ando eu outra vez a pensar mais do que o que devia, mas não posso deixar de o fazer, o ambiente é propício para o fazer: Alentejo.

Tenho pensado muito.Aquilo que quero, o que devo fazer, o que me apoquenta, o que me faz feliz...tenho pensado demais e estudado de menos, mas às vezes é inevitável.

Hoje fui ao terço. Gosto de vir aqui à igreja. São só velhinhas beatas, mas gosto do ambiente, da meia-luz, das vozes em unissono a (des)dizer orações para algum santo qualquer. Gosto de olhar a arquitectura, já antiga (sec XII? XIII?...vou averiguar), as imagens que por mais belas, têm sempre em mim um sentimento algo macabro, e gosto daquele sentimento de fé...de crença. Será?

Não me vou alongar.Não estou a escrever no meu pc, o teclado é horrivel e parece que tou a martelar nas teclas...não gosto.Assim, despeço-me com a tv a dar raguebi na sport tv, um desporto viril e masculino, que deve andar nos desportos com maior percentagem de jogadores com mais de 100kgs.O que é fantastico!Deliciante! Já dizia a avó de uma amiga,que por sua vez também o diz; fraseando-a(s):
"homem é homem;bicho é rato"

1 comentário:

Claudia Raposo Correia disse...

Há dias assim, são mesmo inevitáveis. Dias em que a concentração deveria estar virada para o pequenino livro de História e, no entanto, está bem mais perto das estórias que fantasiamos. Em momentos assim, invento. Mudanças, alterações. Qualquer coisa é útil para não nos fazer pensar "inutilidades". Por mais que não queiramos, o tempo não volta; o ontem nunca será mais do que isso...